segunda-feira, 12 de agosto de 2013 | 19:50 | 0 Comments

EM PÉSSIMO ESTADO,MUSEU DO IPIRANGA FECHA ÀS PRESSAS PARA REFORMA


"A previsão é de que as obras só sejam concluídas em 2022, bicentenário da Independência"O mais antigo e querido museu de São Paulo, o do Ipiranga, está fechado ao público desde o último fim de semana, sem previsão de reabertura. O fechamento, anunciado de forma abrupta no domingo (4) pela direção do Museu Paulista, braço da Universidade de São Paulo (USP) responsável pela administração do local, pegou os paulistanos de surpresa. Esta será a primeira vez em um século que o prédio não ficará aberto durante a Semana da Pátria, que marca as celebrações da Independência do Brasil. Em média, cerca de 3.000 pessoas visitam o lugar todos os dias. No feriado de 7 de Setembro o número mais que triplica. Entre os frequentadores assíduos estão professores e estudantes das escolas da capital e cidades vizinhas.
A desculpa oficial para o fechamento é que o museu precisa de reformas urgentes. O edifício, que acaba de comemorar 120 anos de inauguração, está caindo aos pedaços. No salão nobre, cuja parede principal ostenta o quadro Independência ou Morte, do paraibano Pedro Américo, o teto descolou-se e ameaçava cair sobre os visitantes. O forro de salas vizinhas está prestes a desabar por causa da infiltração de água da chuva. A pintura de vários ambientes se encontra rachada e apresenta mofo. As portas, com fechaduras antigas, emperram. Manchas de sujeira cobrem tanto um busto do marechal Floriano Peixoto, o segundo presidente da República, no subsolo, como um espelho que pertenceu à marquesa de Santos, amante do imperador Pedro I, em uma sala da torre leste do 1º andar. Uma carruagem do século XIX, no térreo, está com a forração rasgada em vários pontos. Na fachada do edifício, trechos sem reboco deixam os tijolos à mostra. Na parte dos fundos, onde bate menos sol, a tinta descascou e as paredes foram tomadas pelo musgo. O estado de abandono é uma ameaça não só à segurança dos visitantes mas também ao precioso acervo, composto de 150 000 peças, uma biblioteca com mais de 100 000 volumes e um centro de documentação com 40 000 papéis e manuscritos.

Fonte: http://vejasp.abril.com.br/materia/museu-do-ipiranga-fechado-reforma?utm_source=redesabril_vejasp&utm_medium=facebook&utm_campaign=vejasp